Saiba como usar a Uniswap para negociar tokens em uma exchange descentralizada

Exchanges descentralizadas (DEX) são o coração das finanças descentralizadas, ou DeFi. As plataformas DeFi explodiram em popularidade entre 2019 e 2020 , impulsionadas por soluções desenvolvidas em Ethereum, causando uma disparada no valor total alocado nesses protocolos. Durante esse forte movimento de popularização, a Uniswap teve um importante papel.

Uniswap (UNI) é na BitPreço

Já em sua terceira versão, a Uniswap popularizou as exchanges descentralizadas nessa recente e forte onda no uso de DeFi. Atualmente, ela é a maior DEX da rede Ethereum em valor total alocado, ou TVL. Ao todo, quase R$ 35 bilhões estão nos pools da Uniswap.

Então, é necessário conhecer melhor essa exchange descentralizada e como usá-la. Em especial, os usuários de criptomoedas que prezam pelo anonimato devem sempre buscar entender melhor as plataformas de DeFi. Nesse texto, você vai encontrar:

  • O que são finanças descentralizadas: uma breve explicação sobre DeFi, explorando a importância das DEX;
  • O que é a Uniswap: uma explicação prática sobre esta famosa exchange descentralizada;
  • Como utilizar a Uniswap: entenda como criar uma carteira e como utilizar as funções desta DEX.
    • Como o nome sugere, as finanças descentralizadas agrupam serviços financeiros tradicionalmente oferecidos por meio de intermediários, mas reimaginados de forma descentralizada. Por exemplo, um empréstimo bancário em DeFi pode ser concedido sem a necessidade de falar com o gerente de um banco. Basta deixar a garantia no protocolo, obedecidos os requisitos, e uma quantidade em dinheiro — garantida por meio de stablecoin — é concedida como empréstimo.

      Por ser um segmento dinâmico, como todo o mercado de criptomoedas, outros serviços do mercado financeiro tradicional foram implementados. A poupança é outro exemplo, oferecida por meio de staking. Um investidor deixa seus tokens em uma plataforma que, por sua vez, paga rendimentos sobre o montante alocado. Contudo, os rendimentos variam de acordo com a quantidade de tokens alocados e com o preço do mesmo.

      Além disso, outro exemplo notório são as exchanges descentralizadas. Elas cumprem o mesmo papel de exchanges centralizadas, que é negociar tokens, mas sem que a plataforma faça a custódia dos criptoativos. Os tokens deixam a carteira do usuário somente no momento da transferência, mediante aprovação, e outros tokens são recebidos. Vale ressaltar ainda que uma mesma plataforma pode agrupar diferentes serviços DeFi, como é o caso da Uniswap.

    • Existem dois grandes motivos que os entusiastas de DeFi listam para utilizar os protocolos deste segmento. O primeiro é o anonimato. Uma vez que diferentes serviços financeiros podem ser acessados fora da malha de dados.

      Por exemplo, é possível obter um empréstimo em USDT deixando Ethereum (ETH) como colateral para comprar um terceiro token, lucrar com a venda deste token em uma exchange descentralizada, pagar o empréstimo e recuperar o montante em ETH deixado como colateral sem que nenhuma entidade centralizada esteja envolvida. E este motivo esbarra no segundo: a descentralização. Todo o propósito das criptomoedas é descentralizar e dar liberdade aos investidores sobre o próprio dinheiro. O segmento de DeFi se baseia justamente nisso.

      Em um banco, todo um procedimento de verificação de crédito seria necessário antes de conceder um empréstimo. Já em DeFi, basta fornecer o colateral e o valor é creditado na carteira de criptomoedas. Assim, é importante conhecer sempre mais sobre DeFi e acessar as diferentes funcionalidades deste segmento.

    • Em teoria, grandes protocolos DeFi são seguros. Entretanto, este segmento não é livre de riscos. Talvez o maior deles seja o Rug Pull, ou “puxada de tapete”, em tradução livre.

      Essa prática consiste em um protocolo desaparecer, acarretando na fuga dos desenvolvedores com todo o dinheiro alocado por investidores nos pools. É um risco inerente ao mercado de criptomoedas. Por isso, é importante recorrer às plataformas mais conhecidas, como é o caso da Uniswap.

    Uniswap Logo

    O que é a Uniswap?

    Uniswap pode se referir a duas entidades diferentes. A primeira é a Uniswap Labs, organização composta pelos desenvolvedores do projeto, ou seja, por trás da exchange descentralizada. Trata-se de um ponto positivo, já que não só são conhecidas as pessoas por trás do projeto, como elas são ativas nas redes sociais e em eventos presenciais. Isso reduz as chances de que os perfis sejam forjados.

    Já a segunda entidade é a exchange descentralizada, a Uniswap. A maior DEX da rede Ethereum em valor alocado, a Uniswap e seu token UNI são grandes conhecidos da comunidade DeFi. Além dos serviços de negociação de tokens, a Uniswap oferece também pools de liquidez. Por meio deles, é possível obter recompensas por fornecer liquidez aos protocolos. Inclusive, a Uniswap é tida como o principal motor por trás da popularização destes pools de liquidez, que serão abordados mais adiante.

    O primeiro passo é você comprar e vender Uniswap (UNI) na BitPreço

    Como usar a Uniswap?

    01

    Antes de mais nada, para começar a usar os serviços da Uniswap, é necessário ter uma carteira compatível com a rede Ethereum. Atualmente, a carteira com a rede Ethereum nativa e que possui mais usuários é a MetaMask. Contudo, tenha atenção: por ter a maior quantidade de usuários, a probabilidade de sites tentando se passar pela carteira para roubar seus fundos é grande. Tenha certeza que você está usando o site oficial!

    02

    Baixada a MetaMask para o seu tipo de dispositivo, não se esqueça de anotar suas palavras de recuperação fora de um dispositivo digital. Em hipótese alguma salve-as em seu celular ou computador, já que um agente mal intencionado pode ter acesso às suas economias se comprometer um destes dispositivos. Na melhor das hipóteses, anote em um papel e guarde-o em um lugar que você lembre.

    03

    Agora é hora de conectar a carteira à Uniswap. No canto superior da tela, basta clicar na opção Connect Wallet. Então, autorize a conexão na extensão da MetaMask no seu navegador para que você pode acessar os serviços da exchange. Diferente da rede Binance Smart Chain (BSC), não é necessário configurar a MetaMask para usar protocolos da rede Ethereum. Porém, se você estava usando a rede BSC, não se esqueça de selecionar a rede Ethereum na sua carteira.

    Negociando UNI

    A primeira tela que aparece dentro da Uniswap é a negociação de tokens. É um procedimento fácil e intuitivo, bastando selecionar o criptoativo que você deseja trocar na opção de cima, deixando na opção de baixo o token que deseja receber. Após colocar as quantias, a Uniswap solicitará a confirmação para a negociação.

    Negociando UNI

    Caso o par tenha liquidez nos pools, a transação será completada. Pronto, você negociou tokens na Uniswap. Conforme dito, o procedimento é fácil e rápido e, melhor ainda, sem que uma entidade centralizada faça a custódia do seu dinheiro.

    Usando os pools de liquidez

    Os pools de liquidez são a espinha dorsal das finanças descentralizadas. É por meio deste mecanismo que muitos protocolos DeFi existem, sobretudo as exchanges descentralizadas. Eles popularizaram a praticidade das DEX, aumentando consideravelmente a liquidez.

    Você pode fornecer liquidez, primeiro, selecionando um par. Por exemplo, o par ETH/USDT. Para que seja fornecida liquidez, é necessário colocar uma quantidade igual em termos de dinheiro de ambos os tokens. Supondo que 1 ETH esteja cotada a US$ 2.000, serão necessários 2.000 USDT para colocar 1 ETH de liquidez.

    Usando Pools de Liquidez

    Na Uniswap, esses valores são colocados para fornecer liquidez automatizada, conhecido como Automated Market Maker (AMM). Em outras palavras, sempre que um usuário quiser negociar o par ETH/USDT, a liquidez fornecida pelo pool garante que a troca seja executada automaticamente. Em troca, o usuário que forneceu liquidez para o pool ganha um percentual das taxas cobradas na transação, referente a quanta liquidez ele fornece ao pool.

    Embora pools de liquidez possam servir para outros propósitos, no caso da Uniswap, eles servem para automatizar a liquidez. Trata-se, portanto, de uma forma de gerar ganhos passivamente, como uma poupança. Então, vale lembrar as vantagens de usar a Uniswap:

    Anonimato e descentralização

    Trocas de tokens são realizadas sem necessidade de fornecer documentos ou custódia dos tokens a uma entidade centralizada;

    Facilidade

    Não é necessário nem ao menos fornecer e-mail ou senha, bastando conectar a carteira para negociar os tokens;

    Ganhos passivos

    É possível utilizar criptomoedas ‘paradas’ para gerar ganhos passivos dentro da Uniswap.

    Só falta você comprar Uniswap (UNI) no maior marketplace de criptomoedas da América Latina